China admite que falhas teriam causado queda de escolas

A China admitiu ontem pela primeira vez a possibilidade de falhas na construção das escolas da Província de Sichuan, onde um terremoto de 8 graus na escala Richter deixou 80 mil mortos - entre eles milhares de crianças -, em maio. Ma Zongjing, geólogo que investiga os efeitos do tremor, declarou que a má qualidade das construções pode ter provocado o colapso das escolas. "Muitas escolas foram levantadas na China e, no processo de rápido desenvolvimento, problemas podem ter ocorrido", afirmou Ma. As estimativas oficiais indicam que 216 mil edifícios desmoronaram com o terremoto, 7 mil dos quais eram escolas. Segundo Ma, um dos principais problemas das instituições de ensino era a ausência de reforços - muitas das salas que desabaram não tinham colunas para suportar terremotos.O abalo (o maior em 32 anos na China) atingiu 10 milhões de pessoas e deixou 5 milhões de desabrigados. O governo agora corre contra o tempo para concluir antes do inverno a construção de casas para quem perdeu tudo. O desabamento das escolas provocou a revolta de milhares de pais, muitos dos quais perderam o único filho que puderam ter em razão da política de controle de natalidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.