China afasta suspeitas contra chineses do voo MH370

Uma verificação sobre o histórico de todos os chineses a bordo do voo MH370 não encontrou nenhuma ligação com atividades terroristas, afirmou o embaixador da China em Kuala Lumpur, Huang Huikang, segundo a agência de notícias estatal Xinhua. O ministro também disse que as autoridades chinesas começaram a buscar o avião da Malaysian Airlines em seu território.

AE, Agência Estado

18 de março de 2014 | 02h01

A declaração esfria as especulações de que grupo separatista uigur, da província de Xinjiang, poderia estar envolvidos no desaparecimento do Boeing 777 em 8 de março. A aeronave transportava 239 passageiros, sendo 154 chineses.

Funcionários do governo da Malásia disseram que alguém a bordo deliberadamente alterou a rota do avião menos de uma hora depois da decolagem e que alguém desligou duas peças vitais no equipamento de comunicação, permitindo que o avião voasse praticamente sem ser detectado.

A polícia da Malásia está investigando os pilotos e os engenheiros do avião, e pediu para as agências de inteligência de países com passageiros a bordo para verificarem o histórico dos cidadãos em busca de possíveis ligações com atos terroristas. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Malásiachina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.