China alivia restrições a jornalistas estrangeiros

Como nas Olimpíadas, correspondentes poderão entrevistar cidadãos chineses sem autorização do governo

Agência Estado e Associated Press,

17 de outubro de 2008 | 15h45

A China aliviou as restrições ao trabalho de jornalistas estrangeiros no país, informou nesta sexta-feira, 17, a mídia estatal. De acordo com as novas regras, os correspondentes estrangeiros poderão agora entrevistar cidadãos comuns chineses sem a necessidade de autorização prévia do governo.   Veja também: Normas 'olímpicas' de liberdade de imprensa na China expiram   A China já havia levantado essa proibição para as hordas de jornalistas que atuaram no país durante a cobertura dos Jogos Olímpicos de Pequim, em agosto, mas analistas ocidentais acreditavam que a medida seria revogada em breve. Segundo a BBC, determinadas áreas sensíveis, como o Tibete, eram locais proibidos para os jornalistas, e correspondentes continuaram sendo detidos pelas autoridades.   "(As regras) marcaram um padrão novo e mais elevado na lei chinesa para liberdade de noticiar", disse Sophie Richardson, do grupo de defesa dos direitos humanos sediado nos Estados Unidos, Human Rights Watch. "Mas manter as normas em vigor e ampliá-las para incluir jornalistas chineses seria um dos mais importantes legados dos Jogos."   Estes regulamentos mais liberais também não se aplicavam a jornalistas chineses, que enfrentam um alto grau de controle e censura por parte do governo chinês. O anúncio desta sexta, divulgado pela agência de notícias Nova China, torna permanente o alívio à restrição.  

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaimprensa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.