Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

China ameaça intervir para evitar ´secessão´ de Taiwan

O Exército chinês não vai tolerar de modo algum a independência de Taiwan, avisou o general Guo Boxiong, após o último discurso independentista do presidente taiuanês, informou nesta terça-feira, 6, a agência estatal chinesa Xinhua."Caso aconteça a secessão de Taiwan da China, exerceremos efetivamente a nossa gloriosa missão de garantir a soberania nacional e a integridade territorial, de acordo com o desejo da mãe-pátria e do povo", afirmou Guo, vice-presidente da Comissão Central Militar.Ele recomendou a todos os membros do Exército Popular da China que "aumentem o sentido de responsabilidade" e "se preparem para o confronto militar".Discurso de TaiwanNo domingo, 4, o presidente taiuanês, Chen Shui-bian, afirmou que "Taiwan deve ser independente, porque é um país soberano e independente da China". Além disso, ele defendeu uma nova Constituição.Em seu discurso, Chen também insistiu na necessidade de continuar com a mudança de todos os nomes oficiais relacionados com a China e com o general Chiang Kai-shek, que se refugiou na ilha após ser derrotado por Mao Tsé-tung.O primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, disse na segunda-feira na abertura da sessão anual do Congresso Nacional do Povo que a reunificação com Taiwan será obtida pelos esforços de "todos os filhos da nação chinesa, inclusive os compatriotas de Taiwan".O conflito entre China e Taiwan vem desde 1949, quando as tropas do governo nacionalista chinês, comandadas por Chiang Kai-shek, se refugiaram na ilha depois de derrotadas pelas do Partido Comunista.A China considera que a ilha é parte de seu território. Em Taiwan, alguns querem a independência e outros preferem aderir ao modelo de "um país, dois sistemas", como Hong Kong e Macau.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.