China: ameaçados de demissão, funcionários matam executivo

Diretor da empresa havia dito que faria cortes de até 25 mil postos de trabalho e deixou multidão enfurecida

Efe, AP e Reuters

27 de julho de 2009 | 02h29

Um grupo de trabalhadores agrediu e atirou do segundo andar o diretor de uma companhia privada que pretendia comprar e cortar postos trabalho de uma siderúrgica estatal na qual eles trabalham, matando-o na hora, informou a imprensa chinesa.

 

O episódio ocorreu na última sexta-feira, mas só foi informado nesta segunda-feira, 27. A empresa fica na localidade de Tangshan, província de Hebei.

 

É a segunda tentativa da empresa privada Jianlong Steel Holding Company de comprar a estatal Grupo Siderúrgico Tonghua. Chen Guojun, o diretor da companhia privada, que ocupa o 150º lugar entre as 500 maiores empresas chinesas, tinha afirmado que demitiria os trabalhadores de Tonghua assim que a privatização ocorresse.

 

Os meios de comunicação local informaram que Chen liderava a delegação que informou aos trabalhadores da Tonghua, que ocupa o 244º lugar na lista, que a Jianlong compraria 65% de participação na firma e que cortaria empregos e que em breve a empresa se chamaria Chen.

 

De acordo com fontes policiais, o diretor da siderurgia privada chegou a dizer que dos atuais 30 mil trabalhadores restariam cinco mil, "o que enfureceu a multidão".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.