China amplia controle sobre divulgação de notícias

A China proibiu os jornalistas do país a compartilhar informações que tenham obtido no exercício da profissão com a mídia no exterior ou de publicá-las em qualquer veículo que não seja o qual trabalham. Para os críticos, tal medida vai inibir ainda mais a liberdade de imprensa e reduzir a influência das redes sociais.

Agência Estado

11 de julho de 2014 | 14h26

As regras, que foram detalhadas em um documento datado de 30 de junho e divulgado somente nesta semana, surgem num momento em que jornalistas chineses são acusados de fazer uso de suas posições para chantagem. Mas as mudanças também terão impacto sobre os jornalistas que, frustrados com o excesso de controle sobre as notícias que podem ser publicadas pelas empresas nas quais trabalham, divulgam informações por meio das mídias sociais ou blogs pessoais.

"As medidas estão piorando a liberdade de imprensa na China, que já está por um fio", disse o comentarista independente Zhao Chu.

Em nota, a Administração Estatal de Imprensa, Publicação, Rádio, Cinema e Televisão da China informou que os atos praticados por jornalistas "perturbaram a ordem normal de notícias" e feriram o interesse do Partido Comunista, assim como o interesse nacional. Fonte: Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
Chinainformaçãocontrole

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.