China anuncia queda da criminalidade um ano antes da Olimpíada

O índice de criminalidade da China caiuna primeira metade de 2007, anunciou nesta terça-feira umaautoridade policial do país, que dentro de um ano será sede dosJogos Olímpicos de Pequim. "Casos de crimes como assassinato, roubo, incêndios eexplosões que ameaçavam seriamente a sensação de segurança dapopulação caíram bastante", disse o porta-voz policial WuHeping em entrevista coletiva. Os assassinatos diminuíram quase um décimo, e os casos deincêndios criminosos caíram quase na mesma proporção do mesmoperíodo no ano passado, acrescentou. O número de casos envolvendo "explosões" despencaram maisde um quarto, disse Wu, sem detalhar. "Tudo isso é graças aos esforços da polícia em aumentar aprevenção de crimes e melhorar sua capacidade de neutralizar oscriminosos", afirmou o policial na entrevista. Entretanto, Wu não divulgou os dados para "incidentes demassa" -- um eufemismo oficial para manifestações, protestos emovimentos coletivos. Dados oficiais mostram que o número de "incidentes demassa" chegaram a 23.000 em 2006, contra 74.000 registrados em2004. Em 1994, foram 10.000 "incidentes de massa". A China, obcecada por manter a estabilidade de seu governo,lida com uma anunciada insatisfação popular, intensificada poruma crescente desigualdade social, corrupção no governo,poluição e apropriação de terras sem a devida compensação nazona rural do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.