China apoia resolução da ONU sobre voo MH17 e pede cessar-fogo na Ucrânia

O governo chinês saudou a recente resolução da Organização das Nações Unidas sobre o voo MH17 da Malaysian Airlines, abatido sobre território ucraniano na semana passada, exigindo que os responsáveis pelo atentado sejam levados à Justiça, de acordo com o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, o qual pediu um cessar-fogo na Ucrânia.

REUTERS

22 Julho 2014 | 10h12

Em seu website, o Ministério de Relações Exteriores chinês disse que Wang fez os comentários em viagem a Caracas na segunda-feira, onde acompanhava o presidente Xi Jinping em uma visita à América Latina.

Wang pediu que seja permitido que a Organização Internacional de Aviação Civil tenha um papel de destaque na investigação e acrescentou que investigadores internacionais deveriam ter total acesso ao local da queda da aeronave.

"Pedimos a todos os lados ucranianos (do conflito) a interromperem os ataques assim que possível e conduzirem diálogo e consultas para buscar uma solução política abrangente, duradoura e equilibrada”, disse Wang.

Em comunicado, a missão permanente da China nas Nações Unidas disse que uma investigação imparcial e justa do incidente deveria ser realizada para rapidamente determinar a verdade sobre o caso.

(Por Pete Sweeney e Redação Xangai)

Mais conteúdo sobre:
CHINAUCRANIAONU*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.