China: Assentamento para pobres recebe 200 mil camponeses

Cerca de 200 mil moradores pobres das zonas rurais do planalto tibetano foram removidos para uma área irrigada num antigo campo de artilharia, informou neste sábado, 24, a agência de notícias Xinhua.É um dos maiores assentamentos de pobres na China. O país tem 160 milhões de pessoas que vivem com menos de US$ 1 por dia, segundo dados de 2005 do Banco Mundial.A Área de Reassentamento de Hongsibao fica 160 quilômetros ao sul de Yinchuan, capital da província de Gansu, no oeste do país. Ela foi criada sobre o maior campo de artilharia das Tropas Mecanizadas da China, construído há 40 anos numa área de 55.300 hectares próxima ao rio Amarelo, o segundo mais longo da China.Em 1995 as autoridades decidiram encerrar as atividades militares no local e dedicar o campo a acolher 6.100 camponeses de Xihaigu, uma área próxima afetada pela seca.Este ano os últimos 28 mil camponeses das áreas próximas serão realojados em Hongsibao. Mais 26.800 hectares serão irrigados.As autoridades chinesas situam a linha de pobreza em US$ 87,6 por ano, alegando o baixo custo de vida no país. Assim, só reconhecem oficialmente 23,6 milhões de pobres.Graças a diferentes programas de ajuda, desde 1970 a China conseguiu tirar da pobreza 250 milhões de cidadãos, com uma média anual de 9%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.