China aumenta monitoramento de vírus que já matou 19 crianças

Uma província do leste da China lançouum sistema de relatórios diários para monitorar a disseminaçãode um vírus que já matou 19 crianças, deixando os moradores daregião em pânico, disse a agência de notícias Xinhua nasegunda-feira. O enterovírus 71, ou EV71, que pode causar doenças nasmãos, pés e boca, começou a se espalhar no começo de março nacidade de Fuyiang, na Província de Anhui, disse a Xinhua, masisso só foi publicado no domingo. O vírus já foi encontrado na China antes, mas "acreditamosque a situação ainda é de preocupação, especialmente por causado alto número de mortes, em comparação com os anosanteriores", disse o representante da Organização Mundial deSaúde na China, Cris Tunon, em um comunicado. A OMS rdcomendou que os pais mantenham suas crianças longede locais públicos durante um tempo e façam com que elas lavemas mãos frequentemente. O ministro da Saúde, Chen Zhu, visitou Fuyang no fim desemana. O departamento de saúde da Província também vaipromover oficinas para treinar mais médicos para prevenir ovírus e curar os doentes, disse a reportagem. Até segunda-feira, houve 915 casos, um aumento de mais de100 em relação aos números divulgados no fim de semana, disse aXinhua. A maior parte dos 19 mortos era crianças abaixo de doisanos de idade. Um total de 269 crianças continuam no hospital,sete em estado crítico. A contaminação por enterovírus se dá principalmente pelocontato com bolhas e fezes infectadas e pode causar febre alta,paralisia e inchaço do cérebro ou de seu revestimento. Não há vacina ou agente antiviral para tratar ou prevenir ovírus. O tratamento tenta conter os sintomas, que podem incluirmeningite e parada cardíaca, disse Tunon. Os surtos de EV71 ocorreram nos últimos anos no Sudeste daÁsia e em alguns países do leste europeu. (Reportagem de Lindsay Beck)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.