Diego Azubel/Efe
Diego Azubel/Efe

China bloqueia Facebook após violência étnica

Medida marca um aumento das restrições à livre manifestação em Xinjiang

Efe

08 de julho de 2009 | 00h36

Pequim, 8 jul (EFE).- A rede social Facebook está inacessível há várias horas na China, segundo comprovaram internautas no país e grupos de controle da censura da internet, em medida que ocorre três dias depois dos violentos confrontos étnicos ocorridos na cidade chinesa de Urumqi.

 

O bloqueio do "Facebook" marca um aumento das restrições aos internautas chineses que começaram no domingo, dia dos incidentes. Nesse esse dia, o serviço de microblogging Twitter também foi bloqueado no país asiático.

 

O acesso a outros sites estrangeiros também está muito difícil. A conexão à internet está muito lenta, enquanto páginas já antes bloqueadas, como YouTube, continuam inacessíveis.

 

A China é o país com mais internautas no mundo, 300 milhões, mas sofre uma dura censura de conteúdos na rede, especialmente em momentos de tensões políticas ou em datas "sensíveis" para o Governo comunista.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaUrumqiiugur, Xinjiang

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.