China busca dezenas de desaparecidos após deslizamento

Equipes de resgate na China realizaram uma busca emergencial por sobreviventes no sudoeste do país nesta quinta-feira, depois que um deslizamento de terra destruiu um vilarejo, matando ao menos 14 pessoas e deixando dezenas desaparecidas.

REUTERS

19 de agosto de 2010 | 09h20

O deslizamento em Puladi, uma vila na província de Yunnan, foi o mais recente de uma série de desastres naturais que atingiram a China neste verão depois que chuvas torrenciais causaram enchentes e desabamentos de encostas.

Em um dos piores casos de deslizamento, ao menos 1.287 pessoas morreram em Zhouqu, na província de Gansu, e mais de 450 estão desaparecidos. Tempestades nas províncias vizinhas de Longnan e Sichuan mataram mais algumas dezenas de pessoas.

Fotos de Puladi mostravam uma área do vale coberta de lama, com equipes de resgate colocando tábuas para servir de passagem para chegar ao vilarejo de cerca de cem moradores, incluindo alguns que trabalham em uma pequena mina de ferro.

"Nós ouvimos um barulho muito alto e sabíamos que era um deslizamento de terra", disse um morador, Yu Lichun, ao China News Service. "Nós corremos e nem houve tempo para nos vestir...saímos correndo, gritando."

Ao menos 14 pessoas morreram, segundo a agência China News Service. Pelo menos dez caminhões da mineração e 21 casas ficaram soterradas, disse Zhong Zhifang, uma autoridade que está ajudando nos esforços de resgate, à agência de notícias Xinhua.

"Mesmo se pessoas forem encontradas no local, as chances de sobreviverem são muito pequenas", declarou um membro da equipe de resgate, segundo a China News Service.

Puladi está localizada no vale do rio Nu, uma área montanhosa com baixa densidade populacional, próxima de Mianmar.

A condição remota e a situação de muita lama dificultam a busca das equipes de resgate pelas dezenas de pessoas desaparecidas -- algumas das quais conseguiram escapar da avalanche de lama e rochas que atingiu a região na quarta-feira.

(Reportagem de Chris Buckley)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINADESLIZAMENTORESGATE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.