China cancela mais viagens de noruegueses após prêmio Nobel

A China cancelou mais visitas oficiais à Noruega e de autoridades do país nórdico à nação asiática após a nomeação do dissidente chinês Liu Xiaobo ao prêmio Nobel da Paz, informou a Noruega nesta quarta-feira.

GWLADYS FOUCHE E WALTER GIBBS, REUTERS

13 de outubro de 2010 | 19h58

Após cancelar dois encontros diplomáticos nesta semana, a China também suspendeu uma viagem de 17 noruegueses, prevista para a próxima semana, e vários outros contatos, afirmou o Ministério de Relações Exteriores norueguês.

Mas contatos entre representantes de baixo escalão de ambos os países continuam, sugerindo que Pequim não deseja colocar em risco as relações de longo prazo com o país nórdico, disseram analistas.

"Sentimos que muitas reuniões importantes com autoridades chinesas foram canceladas ou adiadas", disse Ragnhild Imerslund, porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da Noruega.

Autoridades na embaixada chinesa em Oslo não foram encontradas para comentar. A China classificou a entrega do prêmio a Liu como uma "obscenidade" e disse que o prêmio poderia afetar as relações com a Noruega, país que sedia a entrega do prêmio.

Viagens de delegações e autoridades chinesas à Noruega também foram adiadas, disse Imerslund.

Apesar dos cancelamentos, a China não deve romper todas as suas ligações com a Noruega.

"Tal resposta deveria ser vista como desproporcional", disse à Reuters Jan Egeland, chege do Instituto Norueguês de Assuntos Internacionais.

Tudo o que sabemos sobre:
CHINANORUEGAPREMIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.