China chama de 'irresponsável' nova política do Japão

A China criticou como "irresponsável" hoje uma nova política do Japão que aponta os atuais investimentos militares chineses como uma preocupação global. "Nenhum país tem o direito de se nomear o representante da comunidade internacional e fazer comentários irresponsáveis sobre o desenvolvimento chinês", disse uma porta-voz do Ministério das Relações Exteriores em Pequim, Jiang Yu.

AE, Agência Estado

17 de dezembro de 2010 | 10h49

O comunicado foi divulgado após o Japão anunciar que iria fortalecer suas defesas antimísseis diante da ameaça da Coreia do Norte, como parte de uma grande revisão estratégica que também cita preocupações com a ascensão militar chinesa.

As mudanças em Tóquio incluirão o reforço nas forças do sul do país e da frota de submarinos, além de uma modernização nos jatos de combate. A intenção japonesa é mudar seu enfoque de defesa das ameaças da União Soviética durante a Guerra Fria para as ilhas do sul japonês, mais próximas da China. O comunicado da chancelaria também reitera a posição da China de que a política militar do país é meramente para defesa nacional. "Nós não queremos ser uma ameaça para ninguém", disse a porta-voz.

O gabinete do Japão, um país oficialmente pacifista, aprovou o Programa Nacional de Diretrizes de Defesa, meses após uma disputa territorial com Pequim emergir e semanas depois de a Coreia do Norte lançar um ataque de artilharia contra uma ilha da Coreia do Sul que deixou dois civis e dois militares sul-coreanos mortos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaJapãomilitarizaçãocríticas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.