China cobra do Japão explicações sobre gás venenoso

A China notificou o embaixador do Japão em Pequim, Fumiyo Anamia, sobre a descoberta de tambores de gás venenoso datados da Segunda Guerra Mundial que causaram problemas de saúde a dezenas de pessoas numa cidade chinesa, na semana passada. Anamia foi convocado pelo vice-ministro chinês das Relações Exteriores, Wang Yi, para responder a questões sobre os tambores de gás venenoso deixados pelo Exército japonês ao término de sua ocupação do território chinês no fim da guerra, informou a agência estatal de notícias Nova China.Pelo menos 34 pessoas foram atendidas com intoxicação pelo gás venenoso e duas estavam "à beira da morte" esta semana, de acordo com reportagens publicadas pela imprensa local. Ainda nesta terça-feira, depois de minuciosas investigações sobre o conteúdo dos tambores de gás venenoso, o Japão admitiu oficialmente que a substância foi abandonada na China pelo antigo Exército de seu país após a Segunda Guerral Mundial.A chancelaria japonesa qualificou o incidente como "extremamente lamentável" e prometeu livrar-se rapidamente das substâncias químicas em respeito a um acordo prévio sobre o assunto. Suspeita-se que os tambores contivessem gás mostarda. Eles foram encontrados por operários em um canteiro de obras na cidade de Qiqihar, no nordeste da China, no último dia 4.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.