China condena 37 líderes de seita proibida

A Justiça chinesa condenou ontem 37 líderes da seita proibida Falungong a penas que variam de três a dez anos de prisão, informou o Diário de Pequim. Han Xue, que organizou uma entrevista coletiva "ilegal" sobre a seita no mês de outubro, obteve a pena mais severa. Ele também foi declarado culpado por ter organizado, junto a outros 11 adeptos, "reuniões ilegais em Pequim, e de ter impresso e distribuído material de propaganda da Falungong". O líder da seita, Xue Hairong, foi condenado a sete anos de prisão por ter divulgado via internet informações sobre a doutrina. Os outros seguidores da seita também foram considerados culpados e condenados a penas que vão de três a sete anos de reclusão, por vários detidos, entre eles instalar alto-falantes na Universidade e no Zoológico de Pequim, escrever slogans a favor da seita, e "organizar reuniões ilegais na praça da Paz Celestial".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.