China condena à morte ladrões que gastaram milhões em jogo

Um tribunal em Handan, no norte da China, sentenciou ontem à morte os autores do maior desfalque bancário da história do país, informou a agência de notícias Nova China.Ren Xiaofeng, de 34 anos, e Ma Xiangjing, de 37, empregados de uma filial do Banco Agrícola da China, desviaram 51 milhões de yuans (US$ 6,7 milhões) e gastaram todo o dinheiro em bilhetes de raspadinha, mas não ganharam um só prêmio. Os dois eram viciados em apostas e tornaram-se obcecados com a loteria instantânea estatal.Em outubro do ano passado, Ren e outros dois chineses, Zhao Xuenan e Zhang Qiang, roubaram 200 mil yuans (US$ 26,4 mil) e gastaram o dinheiro em bilhetes da loteria. Como Ren ganhou um prêmio, ele conseguiu devolver o dinheiro roubado.Em março e abril deste ano, no entanto, Ren e Ma passaram a fazer novas retiradas do cofre do banco, do qual só eles possuíam a chave. O esquema foi descoberto em 16 de abril e os dois foram denunciados à polícia. Os investigadores conseguiram reaver apenas 5,5 milhões de yuans (US$ 727 mil). Ao ser preso e interrogado, Ren acusou a loteria chinesa de ser um engodo, uma vez que nunca dava prêmios.Zhao recebeu uma sentença de 5 anos pelo desvio de dinheiro de outubro, enquanto Xhang cumprirá pelo menos 2 anos de prisão. Um quinto homem envolvido no esquema, Song Changhai, foi sentenciado a 3 anos de prisão por ter escondido Ma da polícia, de acordo com a Nova China.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.