China condena dissidente a 3 anos e meio de prisão

O ativista chinês dos direitos humanos Hu Jia, de 34 anos, foi condenado a três anos e meio de prisão por subversão, informou na manhã de hoje em Pequim seu advogado, Li Fangping. Hu, que declarou inocência num julgamento fortemente criticado por governos estrangeiros, tem dez dias para recorrer da sentença.Em setembro, Hu e o advogado Teng Biao divulgaram o documento "A Real China e a Olimpíada", no qual relacionam casos de violações dos direitos humanos por parte do governo. Hu foi preso em dezembro, enquanto sua mulher, Zeng Jinyan, foi mantida em prisão domiciliar. Em março, em entrevista ao Estado, Li Fangping disse que o tribunal e os promotores estavam do mesmo lado e ele só teve 20 minutos para apresentar os argumentos de defesa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.