China condena mais quatro à morte por conflitos em Urumqi

Total de sentenciados até agora é de 26; todos os recém-condenados são da etnia muçulmana uigur

Reuters,

26 de janeiro de 2010 | 09h00

A Justiça da China condenou à morte mais quatro pessoas por participação nos violentos conflitos entre as etnias uigur e han em julho do ano passado na cidade de Urumqi, capital da província de Xinjiang, informou nesta terça-feira, 26, a imprensa estatal.

 

Com as sentenças, o número de pessoas condenadas à morte por participação nos protestos sobe para 26. Destes, nove já foram executados.

 

A julgar pelos nomes, todos os condenados são da etnia uigur, chineses muçulmanos nativos de Xinjiang. Os uigures entraram em conflito com os han por conta do fluxo migratório para a província, que reduziu a influência da etnia muçulmana na região.

 

Na segunda-feira, outros oito chineses foram condenados à morte, de acordo com o site da agência de notícias estatal Xinhua.

 

Pelo menos 197 pessoas morreram em julho do ano passado por conta dos conflitos, que começaram após um suposto ataque de chineses han a uigures.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaUrumqipena de morteuigures

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.