China confirma dois casos e uma morte por Sars

A China confirmou nesta sexta-feira que duas pessoas que trabalhavam em laboratórios contraíram a Sars e que a mãe de uma infectada morreu, fazendo desta última a aparente primeira vítima fatal no país desde julho do ano passado. Centenas de pessoas foram colocadas de quarentena.Na tentativa de prevenir a epidemia, o governo anunciou que procederá à desinfecção de edifícios públicos e controlará as temperaturas dos viajantes em todos os pontos de entrada dopaís. "Qualquer um que tiver temperatura acima de 38 graus será levado ao hospital", disse um comunicado do Ministério da Saúde divulgado nos jornais chineses. "Ninguém ficará isento". As duas pessoas nas quais a ocorrência da doença foi confirmada trabalharam em laboratórios em Pequim, em centros de controle da síndrome respiratória aguda severa, também chamada de gripe asiática, e provavelmente foram infectados nesses locais, disse a agência Nova China. Foram identificadas como um homem de 31 anos de Pequim e uma mulher de 26 anos da província de Anhui, os primeiros casos confirmados nessas áreas desde overão passado. A mãe da infectada de Anhui morreu, disse o Ministério. Acredita-se que ela tenha contraído a doença de sua filha, uma estudante de medicina que fez estágio no laboratório de Pequim entre 7 e 22 de março. A filha foi tratada no mês passado de penumonia virótica num hospital de Pequim onde esteve em contato com a enfermeira que foi identificada como um caso suspeito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.