Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

China confirma intervenção policial em protestos no Tibete

Policiais teriam sido obrigados a usar gás lacrimogênio e disparar tiros para dispersar manifestantes em Lhasa

14 de março de 2008 | 18h25

Autoridades policiais da China confirmaram nesta sexta-feira, 14, que usaram gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes da capital tibetana, Lhasa, segundo informações da agência France Presse. Nesta sexta-feira, duas pessoas foram mortas nos protestos entre tibetanos e policiais chineses, segundo a rádio Free Asia. Veja também:Pelo menos dois morrem em protestos no Tibete, diz rádioMonges ateiam fogo a carros e lojas no TibeteGaleria de imagens dos protestos  "Os policiais receberam ordem de não utilizar a força", esclareceu a agência oficial Nova China, citando fontes anônimas. "Sem opção, os policiais se viram obrigados a utilizarem uma quantidade limitada de gás lacrimogêneo e disparar tiros de advertência para dispersar a multidão", acrescentou. Nesta sexta-feira, manifestantes pró-independência queimaram lojas e carros em Lhasa. Os protestos começaram na segunda-feira, 10, dia que marcou o 49º aniversário de um levante tibetano contra a dominação chinesa. Os manifestantes, na maioria monges budistas, são contra a dominação do governo chinês, que anexou o Tibete ao seu território na década de 50. A China acusa simpatizantes do líder espiritual do Tibete, dalai-lama, atualmente exilado, de "arquitetar" o levante, que mancha a imagem do país cuidadosamente construída de prosperidade e harmonia nacionais, às vésperas dos Jogos Olímpicos de Pequim.

Tudo o que sabemos sobre:
TibeteChinaprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.