China conta mais de 70 mil mortos e desaparecidos por terremoto

A China elevou na terça-feirapara mais de 70 mil o número oficial de mortos e desaparecidospelo terremoto da semana passada, mas equipes de resgateencontraram um sobrevivente sob os escombros deixados peloforte tremor de oito dias atrás. Um comunicado do governo afirma que o número de mortos jáultrapassou os 40 mil e a agência estatal de notícias Xinhuadisse haver também 32 mil outros desaparecidos no total. Anteriormente, as autoridades estimavam que o total demortos superaria os 50 mil. Há também 247 mil feridos. A imprensa chinesa relatou que Ma Yuanjiang foi resgatadono condado de Wenchuan, epicentro do tremor, depois de passar179 horas soterrado. Chengdu, capital da província, viveu momentos de pânicodurante a madrugada, quando dezenas de milhares de moradoresfugiram de suas casas, assustados por um canal de TV queprevira outro sismo. Horas depois, de fato, houve um tremor demagnitude 5. Ao anoitecer de terça-feira, muita gente permanecia nasruas, armando tendas para passar a noite ao relento. Paratentar acalmar a população, a TV local exibe entrevistas comtécnicos explicando a previsão. "Não é porque você sente os tremores secundários que elesvão machucar. É claro que não é para vocês se exporem", disseHan Weiding, pesquisador do departamento sismológico local. A região ainda sente tremores secundários e também têmfortes chuvas, o que complica o trabalho das equipes de resgatedo Exército, do governo e de particulares. Outra tarefaexaustiva é a de alimentar e abrigar milhões de desabrigados. Em Sichuan, muitas famílias estão indignadas com afacilidade com que escolas desabaram, soterrando classesinteiras. Numa cidade, um grupo exigia punição aos responsáveispelas construções precárias --um tipo de manifestação públicarara na China.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.