China contesta plano de japoneses de visitar ilhas disputadas

A China apresentou um protesto formal ao Japão neste sábado sobre os planos de um grupo nacionalista de realizar neste fim de semana uma cerimônia em memória dos japoneses mortos na Segunda Guerra Mundial perto de ilhas disputadas no Mar da China Oriental, disse a agência estatal de notícias Xinhua.

Reuters

18 de agosto de 2012 | 10h57

O grupo de mais de 100 pessoas, viajando em uma frota de barcos, deve chegar perto das ilhas na manhã de domingo. O governo do Japão negou ao grupo permissão para desembarcar nas ilhas.

A agência disse que a China apresentou "representações solenes" ante o Japão sobre o assunto, um termo utilizado pela mídia oficial para indicar um nível particularmente alto de oposição diplomática.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Qin Gang, disse que a China havia pedido ao governo nipônico para "interromper imediatamente a ação que pretende minar a soberania territorial da China" sobre as rochosas e inabitadas ilhas conhecidas como Senkaku no Japão, e Diaoyu na China, afirmou a agência.

Na sexta-feira, o Japão enviou de volta a suas casas ativistas chineses que foram detidos na quarta-feira, após desembarcarem em uma das ilhas.

A China saudou o retorno dos ativistas, mas também advertiu o país vizinho sobre possíveis aumentos na tensão.

(Reportagem de Pete Sweeney)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAJAPAONACIONALISTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.