China cresceu cerca de 10% em 2010, diz vice-premiê

A economia da China cresceu cerca de 10% em 2010, com as vendas do varejo registrando expansão ao redor de 18,5%, informou o vice-primeiro-ministro Li Keqiang, de acordo com um discurso publicado hoje na página do governo central chinês. A demanda doméstica contribuiu para cerca de 90% do crescimento em 2010, cita o documento, atribuindo a informação a um discurso de Li a líderes empresariais na Alemanha.

AE, Agência Estado

08 de janeiro de 2011 | 12h31

Li acrescentou que a China tem capacidade e condições de conquistar uma expansão econômica acelerada e estável no longo prazo. Li, constantemente visto como um sucessor de Wen Jiabao daqui a dois anos, está visitando a Alemanha como parte de um tour de nove dias pela União Europeia, o maior parceiro exportador da China. Antes da Alemanha, Li visitou a Espanha. No domingo, ele viajará para o Reino Unido.

O vice-primeiro-ministro acrescentou em seu discurso que a China está atenta aos problemas do endividamento soberano de alguns dos países da União Europeia e vai dar apoio para as políticas de estabilização adotadas por países relevantes, pela União Europeia e pelo Fundo Monetário Internacional. Li verbalizou que tem confiança de que a UE vai conseguir superar seus problemas temporários e assegurar uma expansão econômica segura.

No início da semana, o vice-premiê da China e o vice-ministro de Comércio, Gao Hucheng, se comprometeram a continuar comprando papéis da dívida soberana da Espanha, o que foi uma mensagem bem-vinda para a endividada Espanha. "A China é um investidor de longo prazo e responsável e vai continuar tendo um impacto positivo e estabilizador nos mercados internacionais", comentou Li, acrescentando que a União Europeia continuará como um mercado importante para investimentos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaeconomiainvestimentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.