China critica decisão dos EUA de sobretaxar pneus

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, impôs novas tarifas punitivas para todos os pneus para carros e caminhões leves importados pelos EUA da China, o que motivou uma manifestação do governo de Pequim, que classificou a medida de protecionista e disse que ela viola os acordos de comércio global. Enquanto a decisão da Casa Branca sobre a imposição de tarifas, anunciada na noite de ontem, deve aplacar forças sindicalistas importantes que defendem o plano de assistência médica do governo de Obama, a medida pode criar um acirramento das tensões com o gigante asiático, um parceiro comercial e estratégico para o governo norte-americano.

AE-AP, Agencia Estado

12 de setembro de 2009 | 12h33

O ministro do Comércio da China, Chen Deming, afirmou que o governo é fortemente contrário às tarifas, classificadas como um sério caso de protecionismo que pode abalar não só as relações comerciais entre os EUA e a China, mas também outros interesses norte-americanos. Ele disse que os EUA não cumpriram a promessa feita durante o encontro do G-20, grupo das 20 maiores economias do mundo, e que a ação viola as regras da Organização Mundial do Comércio (OMC). "Recentemente, a América e a China conduziram diversas negociações em diferentes níveis, mas as exigências norte-americanas são muito elevadas, portanto não houve nenhum acordo, o que a China lamenta", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
comércio exteriorChinaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.