China critica plano dos EUA de aumentar defesas contra Coreia do Norte

A China disse nesta segunda-feira que os planos dos EUA de reforçar a defesa contra mísseis, em resposta às provocações da Coreia do Norte, iriam apenas intensificar o antagonismo, e pediu ao governo norte-americano para agir com prudência.

Reuters

18 de março de 2013 | 07h46

"A questão antimíssil tem uma relação direta com o equilíbrio e estabilidade global e regional. Também diz respeito a interesses estratégicos mútuos entre os países", afirmou o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores chinês Hong Lei, em uma entrevista coletiva.

O secretário de Defesa dos EUA, Chuck Hagel, anunciou na sexta-feira planos para reforçar as defesas dos EUA contra mísseis em resposta a "provocações irresponsáveis ??e imprudentes" da Coreia do Norte, que ameaçou um ataque nuclear preventivo contra os Estados Unidos.

Hong afirmou que a China acredita que esforços para aumentar a segurança e resolver o problema da proliferação nuclear são melhor alcançados através dos meios diplomáticos.

"Ações como reforçar (defesas) antimísseis vão intensificar antagonismo e não será benéfica para encontrar uma solução para o problema", disse Hong.

"A China espera que o país em questão continue na base da paz e da estabilidade, adote uma atitude responsável e aja com prudência", acrescentou.

O Pentágono disse que os Estados Unidos haviam informado à China, vizinha da Coreia do Norte e seu aliado mais próximo, da decisão de adicionar mais interceptadores de mísseis, mas se recusou a comentar a reação do governo chinês.

(Reportagem de Sui-Lee Wee)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAEUACAUTELADEFESASMISSEIS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.