China declara alerta máximo por pior seca nos últimos 50 anos

Falta de chuvas afeta diretamente 10,3 milhões de hectares de plantação; governo aplica US$ 44 mi em combate

Efe,

05 de fevereiro de 2009 | 15h29

  PEQUIM - O governo chinês declarou nesta quinta-feira, 5, alerta máximo devido à maior seca dos últimos 50 anos, que já atinge seriamente algumas regiões do país, informou a agência oficial de notícias Xinhua. Segundo dados publicados pelo Escritório de Ajuda à Seca, as chuvas nas regiões norte e central até 5 de fevereiro foram entre 50% e 80% inferiores ao normal. O problema afeta diretamente 10,3 milhões de hectares de plantação, segundo dados publicados pelo Escritório de Ajuda à Seca.   As informações foram analisadas na reunião desta quinta do Conselho de Estado (órgão executivo), no qual o presidente, Hu Jintao, e o primeiro-ministro, Wen Jiabao, decidiram declarar alerta máximo e iniciar uma autêntica batalha contra a seca para assegurar o fornecimento agrícola.   A catástrofe afeta 9,5 milhões de hectares em áreas tradicionais de plantação de trigo, sendo que 2,89 milhões estão em estado grave. Além disso, a extensão da seca afetou o fornecimento de água potável para 4,29 milhões de pessoas e 2,07 milhões de cabeças de gado, segundo dados oficiais.   Diante da situação, o governo chinês decidiu nesta quinta destinar mais 300 milhões de iuanes (US$ 44 milhões) ao orçamento inicial de 100 milhões de iuanes (US$ 14,6 milhões) para combater a seca.   A quantia extra será destinada à compra de maquinário agrícola e outros materiais de produção. A manutenção do fornecimento de cereais é uma prioridade de Estado no país mais populoso do mundo, com 1,3 bilhão de habitantes.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaseca

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.