China demite 3 autoridades após acidente com trem-bala

O governo chinês exonerou três importantes autoridades do setor ferroviário neste domingo após a colisão de dois trens de alta velocidade que deixou ao menos 43 mortos e levantou novas dúvidas sobre a segurança da crescente rede de trens do país.

REUTERS

24 de julho de 2011 | 13h03

Um trem-bala colidiu com outra composição que perdeu energia após ser atingida por um raio na noite de sábado, informou a imprensa estatal, no maior acidente ferroviário do país desde 2008.

A queda na energia desabilitou um sistema de segurança eletrônico destinado a alertar trens sobre locomotivas paradas nos trilhos.

Enquanto equipes de resgate e bombeiros com escavadeiras procuram por sobreviventes, a televisão estatal disse que um menino de 4 anos e um bebê do sexo masculino foram resgatados com vida dos destroços.

Não se sabe quantas pessoas estavam nos trens, que colidiu em uma ponte perto da cidade de Wenzhou, na província de Zhejiang, a 1.380 quilômetros ao sul de Pequim.

Autoridades agiram rapidamente para acalmar a revolta do público ao demitir três autoridades do setor ferroviário, informou o Ministério de Ferrovias em um comunicado na Internet. Os três também serão "alvo de investigação", disse a nota.

Cerca de 200 pessoas permaneciam hospitalizadas, 12 delas em estado grave, informou a agência de notícias Xinhua.

(Por Royston Chan e Maxim Duncan)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAACIDENTEDEMITE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.