China descobre escutas em Boeing presidencial

A China descobriu 27 dispositivos de escuta no Boeing 767 fabricado nos Estados Unidos e comprado pelo governo chinês para servir como avião pessoal do presidente Jiang Zemin, informa a imprensa internacional. Os dispositivos, minúsculos e altamente sofisticados, estavam ocultos na mobília do jato, incluindo o banheiro do presidente e na cabeceira de sua cama, informa o jornal londrino Financial Times, citando fontes chinesas. O jornal diz que Zemin se sentiu ?ultrajado? com a descoberta. As escutas foram descobertas quando produziram estática durante um teste de vôo da aeronave após a entrega do aparelho, em agosto. Já o Washington Post informa que especialistas em comunicação do Exército chinês encontraram os microfones em outubro, dias antes da primeira viagem oficial. O Post informa que, atualmente, o jato está estacionado numa base aérea ao norte de Pequim. O jornal americano diz que as autoridades chinesas culpam a espionagem americana pelas escutas, e que o incidente será - ou seria - mencionado durante a cúpula do presidente americano, George W. Bush, com Zemin, marcada para 21 de fevereiro. Os jornais descrevem os dispositivos como mais sofisticados do que o material normalmente disponível no mercado. As autoridades chinesas estão intrigadas sobre como e quando as escutas foram implantadas. O governo chinês monitorou cada etapa da construção do jato. O hangar onde o interior do avião foi preparado, no Texas, era guardado por equipes particulares e por tropas chinesas, diz o jornal San Antonio Express-News. O Departamento de Estado americano e a Embaixada americana em Pequim não quiseram comentar o incidente.

Agencia Estado,

19 Janeiro 2002 | 09h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.