China destaca oito mil policiais para Xinjiang

Milhares de policiais estão sendo mandados para combater o extremismo religioso e outras ameaças à segurança na província mais ocidental da China, Xinjiang, majoritariamente habitada por muçulmanos e pelos grupos étnicos uigur e casaque. Segundo a agência de notícias Xinhua, do governo chinês, oito mil policiais são recrutados no local ou serão enviados à província autônoma. O objetivo é garantir que cada vilarejo tenha pelo menos uma patrulha permanente. O reforço da polícia em Xinjiang também teria como objetivo garantir a estabilidade da província em um ano de transição no comando político chinês em Pequim.

AE, Agência Estado

30 de janeiro de 2012 | 15h41

Os objetivos primordiais da polícia serão "patrulhas de segurança, atendimento à população migrante e repressão a atividades religiosas ilegais", disse o comunicado. Os policiais serão auxiliados nas missões por milícias locais, que costumam atuar desarmadas, segundo a Xinhua.

O aumento da força policial chinesa em Xinjiang sinaliza a preocupação de Pequim com uma possível rebelião no oeste chinês. Em 2009, o ressentimento das populações locais contra os chineses de etnia Han explodiu numa onda de violência que deixou 200 mortos nas lutas entre os nativos uigures e casaques e os migrantes na capital Urumqi, segundo informações do governo chinês.

Nos últimos meses, dezenas de pessoas foram mortas e feridas em conflitos étnicos e as autoridades chinesas confiam no aumento da força policial para controlar a situação. A China culpa "ativistas estrangeiros" por incitarem a população local a desfechar ataques terroristas contra os Han, que migraram da costa no Pacífico para Xinjiang. Entre esses militantes, estariam paquistaneses afiliados à Al-Qaeda. Na realidade, existe um movimento dos uigures para a separação da província, chamada de Turquestão do Leste por esse povo de origem turca.

A porta-voz do governo regional de Xinjiang, Hou Hanmin, confirmou à Associated Press que oito mil policiais serão enviados ou estão sendo recrutados na própria província. Segundo ela, o objetivo da expansão da força policial é melhorar os serviços públicos provinciais.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.