China detém cinco suspeitos de terrorismo

A China deteve cinco suspeitos de planejarem uma ação terrorista e capturou 1,8 tonelada de materiais para fabricar explosivos, informou o governo regional de Xinjiang, por meio do site estatal de notícias Tianshan. O site informou que as autoridades da seção de Hotan destruíram duas instalações destinadas à fabricação de bombas.

AE, Agência Estado

27 Maio 2014 | 01h32

Na semana passada, uma operação envolvendo duas bombas matou mais de 40 de pessoas na cidade de Urumqi, em Xinjiang, sendo que o governo chinês culpa a minoria étnica muçulmana uigur pelo aumento das ações terroristas. Os uigurs reclamam de políticas restritivas e discriminatórias adotadas pelo governo e pela etnia dominante chinesa Han.

O Tianshan publicou que os suspeitos detidos planejavam uma ação semelhante à da semana passada. A reportagem não publicou os nomes, mas disse que todos têm origem uigur. Após o ataque da semana passada, a China anunciou uma operação de segurança de um ano com foco em suspeitos de terrorismo, grupos religiosos extremistas, locais de fabricação de armas e explosivos e campos de treinamento terroristas.

Ontem, a mídia estatal afirmou que as autoridades locais já haviam desmantelado 23 grupos de terroristas ou extremistas religiosos neste mês, levando à prisão de mais de 200 suspeitos.

Dilxat Raxit, porta-voz do grupo de direitos dos uigurs WorldUyghur Congress, alertou que operações politicamente motivadas podem deter mais pessoas sem o devido processo legal. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
China terrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.