China determina novo nível de melamina em lácteos

A China prometeu hoje banir o leite e produtos alimentícios em geral que não sigam os novos parâmetros de quantidade do componente químico melamina permitida. O produto, presente em leite em pó para crianças, matou quatro bebês e deixou outros 54 mil doentes. O Ministério da Saúde chinês anunciou hoje o novo parâmetro, de uma parte por milhão na fórmula infantil e 2,5 partes por milhão no leite líquido, leite em pó e outros produtos que contenham mais de 15% de leite.É o último esforço do país para ganhar novamente a confiança dos consumidores, após o escândalo do leite contaminado. As exportações de produtos alimentícios do país caíram, após ser divulgado que vários produtos continham melamina. Mais de 30 países, de Ásia, Europa e África baniram ou restringiram os produtos chineses, após descobrirem os problemas no setor de laticínios.Um funcionário do ministério, Wang Xuening, afirmou que qualquer produto fora do padrão "terá sua venda proibida". Ele explicou que uma pequena quantidade de melamina pode vir do ambiente e acabar junto com o leite, porém está explicitamente proibido que se acrescente o componente químico.Funcionários do setor de laticínios acrescentavam a melamina para fraudar testes de nível protéico. Com isso podiam acrescentar água à mistura, aumentando os lucros. A melamina em pequenas quantidades não traz problemas, mas em maiores pode causar pedras nos rins e até matar por falência renal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.