China deve abolir campos de trabalho de reeducação

Os polêmicos campos de trabalho de reeducação da China devem ser abolidos este ano, informou hoje o jornal estatal China Daily, ao citar Chen Jiping, vice-diretor da China Law Society. Segundo ele, houve concordância em limitar o uso do sistema até que seja abolido pelo Parlamento chinês, o Congresso Nacional do Povo, que inicia os trabalhos legislativos em março.

Agência Estado

21 de janeiro de 2013 | 03h29

Chen acrescentou, na entrevista, que o sistema do campo de reeducação "deu sua contribuição em um momento em que o Partido Comunista da China estava consolidando a república e retificando a ordem social, mas agora a China conta com sistemas jurídicos bem estabelecidos."

Este é mais um sinal de que o sistema amplamente criticado - no qual as pessoas podem ser condenadas a mais de quatro anos de reeducação pela polícia sem um julgamento aberto - está chegando ao fim. Os comentários de Chen vêm depois de o novo líder do Partido Comunista, Xi Jinping, dizer que os campos de reeducação eram um "problema urgente".

Os opositores afirmam que os campos são usadas para silenciar os críticos do governo, além de possíveis pessoas que fazem queixas contra funcionários às autoridades superiores. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinacampos de reeducação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.