China deve reconstruir casas para 10 milhões de famílias

A China planeja reconstruir habitações para 10 milhões de famílias dentro de cinco anos, como parte dos planos para facilitar o crescimento econômico e melhorar as condições de vida da população, disse o Conselho Estatal, que é o gabinete do governo da China, em um comunicado na quarta-feira.

AE, Agência Estado

27 de junho de 2013 | 03h53

Das 10 milhões de famílias, 3,04 milhões terão novas moradias neste ano, acrescentou o comunicado. Estas observações foram feitas após uma reunião do gabinete presidido pelo premiê Li Keqiang.

Pequim vai encorajar instituições financeiras a conceder empréstimos a esses projetos e pretende estimular empresas privadas a participarem na reconstrução das residências, disse o comunicado. A instituição acrescentou que as políticas de indenização serão aprimoradas e não haverá demolições forçadas ou despejos.

Demolições e realocações na China são importantes fontes de descontentamento público e agitação social, o podem ser considerados como consequências não intencionais de um ritmo alucinante de crescimento econômico nos anos anteriores. Pequim tem dito que quer reestruturar a economia para colocá-la em um caminho de crescimento mais sustentável.

Formadores de políticas da China têm considerado planos de urbanização acelerada, que inclui reformas no registro de residências, conhecido como sistema "hukou", além de mudanças em impostos e políticas que estimulam o empreendedorismo. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
chinaresidênciasmoradia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.