China deve reforçar independência judicial, diz agência

Os líderes da China prometeram que reforçarão a independência judicial no país, informou a mídia estatal nesta terça-feira depois de uma reunião de quatro dias do Partido Comunista. Segundo a agência de notícias Xinhua, um documento divulgado após o encontro ressaltava pedidos para que a independência do poder judiciário e de promotores fosse garantida.

Agência Estado

12 de novembro de 2013 | 10h46

A frase foi interpretada pela mídia estatal como um sinal da diminuição das interferências de funcionários de baixo nível no setor, ao mesmo tempo em que se busca manter a aplicação da lei sob a tutela de líderes do Partido.

O documento também pediu a criação de uma comissão de reforma econômica composta de líderes chineses e de uma comissão de segurança do Estado, disse a Xinhua.

O encontro, que geralmente define uma orientação geral, em vez de propostas concretas, era amplamente aguardado. A expectativa era que fossem discutidas reformas para reduzir as disparidades de renda, aumentar a urbanização, amenizar os controles sobre o setor financeiro e reduzir barreiras para que empresas privadas compitam em indústrias controladas pelo Estado. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinareformaJudiciário

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.