China deveria regionalizar o yuan, diz Instituto

A China deveria promover a regionalização de sua moeda, permitindo a realização de negócios em yuan em toda a Ásia e o investimento de estrangeiros que detenham essa divisa, afirmou Xia Bin, diretor-geral do Instituto de Pesquisas Financeiras, pertencente ao Conselho de Estado da China, órgão executivo supremo do país. "Para promover a regionalização, não precisamos de programas piloto (em cidades selecionadas). Isso deveria ser implementado em todo o país", argumentou .

AE, Agencia Estado

20 de setembro de 2009 | 14h15

As cidades de Xangai, Guangzhou, Shenzhen, Dongguan e Zhuhai tiveram a permissão de Pequim para fazer parte do programa piloto de liquidações de transações em yuan.

Xia disse que os esforços realizados pela China para internacionalizar o yuan, incluindo o programa piloto, está longe do ideal no sentido de gerar demanda e liquidez para o sistema. Para isso, o primeiro passo seria o desenvolvimento de um mercado internacional para a moeda chinesa. Hong Kong seria o local maia adequado devido à sua maior experiência com mercados de capitais, respeito aos sistemas legais e abertura aos mercados internacionais, afirmou.

Ele considerou que a demanda por transações em yuan tem sido fraca até agora em parte porque estrangeiros donos de yuans não podem investir nem negociar a moeda. Além disso, problemas técnicos na precificação e liquidação do yuan têm afastado potenciais participantes. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinamoeda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.