China diz entender interesse da Índia e outros países por CS

A China disse nesta terça-feira que compreende o desejo da Índia de obter uma vaga permanente no Conselho de Segurança da ONU. As relações entre os dois países mais populosos do mundo têm pontos de atrito.

REUTERS

09 de novembro de 2010 | 08h59

Em visita à Índia nesta semana, o presidente dos EUA, Barack Obama, manifestou apoio à reivindicação indiana de uma vaga permanente em um eventual "Conselho de Segurança reformado".

Brasil, Alemanha e Japão, entre outros, também pleiteiam uma vaga permanente, e a reforma poderia beneficiar também um país africano, como África do Sul, Egito ou Nigéria

"A China apoia as reformas apropriadas e necessárias ao Conselho de Segurança da ONU", disse Hong Lei, porta-voz da chancelaria chinesa. "A China entende o desejo da Índia de entrar no Conselho de Segurança. A China está disposta a manter contatos com outros países, inclusive a Índia, e participar em negociações sobre a entrada de mais países em desenvolvimento."

Tal reforma, porém, seria um processo longo e difícil, que pode enfrentar resistências de outros países-membros.

A China e a Índia têm relações espinhosas em vários aspectos, incluindo disputas territoriais na cordilheira do Himalaia. Recentemente, o governo chinês intensificou suas reivindicações territoriais sobre partes do Estado indiano fronteiriço de Arunachal Pradesh.

EUA, Grã-Bretanha, França, Rússia e China são hoje os países com vagas permanentes e poder de veto no Conselho de Segurança da ONU.

(Reportagem de Lucy Hornby)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINACSINDIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.