China diz que excesso de velocidade causou choque de trens

A China culpou na terça-feira o excessode velocidade pelo maior acidente ferroviário no país em maisde uma década, que matou pelo menos 70 pessoas nasegunda-feira. Dois trens colidiram perto de Zibo, na província deShandong, na segunda-feira. Centenas de passageiros estão emhospitais da região. E, com pelo menos 70 em condições graves,o número de mortos pode aumentar. A Xinhua, agência de notícias oficial, citou Wang Jun,chefe da Autoridade de Segurança Nacional, que teria dito queas investigações preliminares indicam que um trem estava em"velocidade seriamente excessiva". Wang disse que o trem viajava a 131km/h na hora doacidente, em uma parte da linha onde o limite de velocidade éde 80km/h, disse a Xinhua. "Isto expõe totalmente o entendimento de que a segurança dotrabalho não é válida em alguns negócios relacionados àoperação de estradas de ferro", disse Wang. Dos mortos, apenas 26 já foram identificados, disse aXinhua, sem dar mais detalhes. O pior acidente de trem da China desde 1997 ocorreu nomomento em que o governo tenta deixar aprimorar a segurança dopaís para as Olimpíadas de Pequim, que começam em agosto. Autoridades da estrada de ferro local já foram afastadas. Amídia estatal reportou que um importante procurador foi à cenado acidente para investigar se houve negligência. Mais de 1.200 paramilitares, policiais e autoridades sejuntaram para ajudar no resgate e "manter a ordem", disse o TaKung Pao, um jornal chinês de Hong Kong. Zhang Lin, uma atleta que estava no trem que ia de Pequimpara a cidade costeira de Qingdao, em Shandong, disse ter sidoacordada por um solavanco na manhã de segunda-feira earremessada pela janela do vagão com o impacto da batida, disseo jornal China Daily. O vagão parou a centímetros de seus pés. "Mais um pouco e os vagões teriam me esmagado", disse elaao jornal, falando no hospital, onde se recupera de fraturas ebatidas. "Daquele momento em diante, não ouso fechar os olhos." (Reportagem de Chris Buckley)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.