China diz que exportações mostram aceitação de seus produtos

As exportações chinesas foram abaladaspelos recentes escândalos envolvendo produtos do país, mas orápido crescimento das vendas para o exterior mostra que amaioria dos consumidores continua confiando na marca "made inChina", disseram autoridades na quinta-feira. Wang Chao, ministro-assistente de Comércio, disse tambémque a imprensa está distorcendo os fatos e contribuindo paraprejudicar a reputação dos produtos chineses. Os escândalos dosúltimos meses envolveram itens tão díspares quanto cremesdentais, rações para animais domésticos e brinquedos. "Alguns consumidores tiveram um mal-entendido a respeito do''made in China'', e isso levou as vendas de alguns produtosfeitos na China a encontrar problemas", disse Wang ementrevista coletiva. "Mas devo dizer que no último período a taxa de crescimentodas exportações de produtos chineses cresceu. Ou seja, amaioria dos importadores, revendedores e consumidores mantémuma atitude justa e compreensiva em relação aos produtoschineses." As vendas da China para os Estados Unidos somaram 121bilhões de dólares nos primeiros cinco meses do ano e devemsuperar o recorde de 287,8 bilhões do ano passado. A China pode se tornar ainda neste ano o terceiro maiormercado para as exportações dos EUA, segundo relatóriodivulgado pelo Ministério do Comércio durante a entrevistacoletiva. Mas o ministro-assistente passou a maior parte do temporespondendo a perguntas sobre eventuais riscos dos produtoschineses e outras disputas que prejudicam o comércio com osEUA. Por causa da presença excessiva de chumbo na tinta usada embrinquedos e outros itens infantis, a Comissão de Segurança doConsumidor dos EUA decidiu na recentemente recolher mais de 300mil peças fabricadas na China. No começo do mês, a empresa norte-americana Mattell haviaanunciado um "recall" de milhões de brinquedos que importara daChina por causa da presença de chumbo na tinta. O vice-ministro de Comércio Gao Hucheng também disse que aimprensa estrangeira exagera os problemas com os produtoschineses, mas admitiu que os próprios cidadãos do país tambémse preocupam. "Os residentes da China, sua gente comum, têm preocupaçõessobre a segurança alimentar e os problemas de qualidade que nãosão absolutamente menores do que os de consumidores em outrospaíses", disse Gao.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.