WANG ZHAO / AFP
WANG ZHAO / AFP

China diz que interferência estrangeira levaria ‘lei da selva’ para Venezuela

Wang Yi, ministro chinês das Relações Exteriores, afirmou que sanções internacionais contra o país da América do Sul ‘só agravarão a situação’

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de março de 2019 | 04h17

PEQUIM - O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, alertou nesta sexta-feira que uma intervenção estrangeira na Venezuela levaria "a lei da selva" ao país.

Durante uma entrevista coletiva na sessão anual do Congresso Nacional do Povo na qual analisou a política externa de Pequim para este ano, o chefe da diplomacia chinesa salientou que a interferência estrangeira e sanções internacionais contra a Venezuela "só agravarão a situação".

"Repetimos uma posição muito clara em relação à Venezuela, que a soberania e a independência dos países devem ser respeitadas", apontou.

Sobre a crítica dos Estados Unidos acerca do relacionamento da China com a América Latina, Wang insistiu que "devem ser respeitados" e defendeu que "é uma escolha certa, que não deve ser interferida".

Além disso, o chanceler chinês explicou que nos últimos anos a relação com a América Latina se fortaleceu, especialmente através da iniciativa das novas rotas da seda.

No final de janeiro, o Ministério da Relações Exteriores da China mostrou seu apoio a Nicolás Maduro, aliado da China, e criticou a "intromissão em assuntos internos" por parte dos EUA. \ EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.