China diz que manterá sua postura contrária a sanções ao Irã

A China é "claramente contra" a imposição de sanções pela ONU ao Irã por causa de seu programa nuclear, reiterou nesta quinta-feira o Ministério de Assuntos Exteriores chinês depois de os Estados Unidos afirmarem que Pequim poderia mostrar-se mais flexível se a Rússia for convencida antes."O momento é crítico e esperamos que todas as partes mostrem contenção e aumentem seus esforços para conseguir uma solução por meio do diálogo", destacou nesta quinta em entrevista coletiva o porta-voz da Chancelaria chinesa, Liu Jianchao.A fonte oficial acrescentou que a China fez contínuos esforços para promover a paz, a estabilidade e a não-proliferação no Oriente Médio.O subsecretário de Estado americano, Robert Zoellick, assegurou na última quarta-feira que se a Rússia fizer concessões para que a ONU imponha sanções ao Irã, a China também se mostrará mais flexível.Com o apoio de Reino Unido e França, o governo dos EUA, que considera que o programa nuclear do Irã tem fins militares, busca a imposição de sanções pelo Conselho de Segurança da ONU.Rússia e China, os outros dois membros permanentes do Conselho e, portanto, com direito de veto, mostraram-se reticentes em relação à aplicação de sanções contra o Irã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.