Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

China diz que navio dos EUA infringiu leis internacionais

Washington acusa embarcações chinesas de intimidarem Impeccable, que realizava 'operações de rotina'

Efe e Reuters,

10 de março de 2009 | 15h27

O governo da China afirmou nesta terça-feira, 10, que o navio americano que, segundo os Estados Unidos, foi intimidado por cinco embarcações chinesas no domingo, perto da ilha de Hainan, infringiu as leis internacionais e chinesas sobre o uso de águas territoriais. "As reivindicações dos EUA são totalmente inexatas e confusas, e são absolutamente inaceitáveis para a China", disse nesta terça o porta-voz da chancelaria chinesa Ma Zhaoxu, em coletiva de imprensa.   Veja também: EUA acusam navios chineses de 'provocação'   "A embarcação da Marinha americana Impeccable infringiu as leis internacionais e chinesas e estava realizando atividades na zona exclusiva econômica do Mar da China Meridional sem a permissão da China", afirmou o porta-voz.   Segundo ele, o governo chinês apresentou um protesto formal perante o americano. Ma, em nome do governo, pediu a Washington a "cessação imediata dessas atividades e a tomada de medidas para evitar incidentes similares no futuro."   De acordo com o Pentágono, cinco navios chineses seguiram e realizaram no domingo passado "manobras agressivas" em uma proximidade "perigosa" ao Impeccable. O diretor de Inteligência Nacional dos EUA, Dennis Blair, afirmou ao Congresso que os policiais chineses "parecem ter (uma postura) mais militar, agressiva". "Isso é uma tendência que estamos observando", disse ele.   Segundo comunicado do Departamento de Defesa americano, as embarcações chinesas "seguiram de perto e manobraram agressivamente em proximidade perigosa" ao Impeccable, que estava conduzindo operações de rotina em águas internacionais, 120 quilômetros ao sul da Ilha de Hainan.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.