China é contra uma nova resolução da ONU

O ministro chinês das Relações Exteriores, Tang Jiaxuan, afirmou que não é necessária uma nova resolução das Nações Unidas sobre o Iraque e que as inspeções de armas devem continuar. Durante uma entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira, em Pequim, Jiaxuan disse que a atual resolução (1441) está em vigor e deve ser cumprida. Perguntado se a China usará seu poder de veto contra uma nova resolução, reivindicada pelos Estados Unidos e a Grã-Bretanha, o ministro chinês assinalou que ?é muito cedo? para dizer se o país vai vetar a proposta no Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU). ?A China fará suas decisões de acordo com a política externa independente e pacifista?, afirmou Jiaxuan. Jiaxuan disse que apóia a declaração conjunta da França, Alemanha e Rússia, que se posicionaram contra uma ofensiva norte-americana no Iraque. Ao lado de França e Rússia, a China é membro permanente do Conselho de Segurança e tem poder de veto.Sobre a crise nuclear entre EUA e Coréia do Norte, o ministro assegurou que os norte-coreanos ?podem aceitar inspeções dos Estados Unidos, depois que negociações bilaterais foram concretizadas?. Para a China, os dois países precisam conversar diretamente. ?Não concordamos com pressões e sanções contra a Coréia do Norte. Isso só complicaria a situação?, salientou Jiaxuan.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.