China e Coréia do Sul prometem ajuda à Coréia do Norte

Coréia do Sul e China prometeram neste sábado fornecer ajuda à Coréia do Norte para que o país comunista possa enfrentar as conseqüências da devastadora explosão de trens na estação ferroviária de Ryongchon, na quinta-feira, que deixou pelo menos 154 mortos e mais de 1.000 feridos, segundo estimaram funcionários da Cruz Vermelha Internacional.Metade dos mortos eram crianças cuja escola foi destruída pela explosão. O governo da Coréia do Norte atribuiu o acidente a "descuido humano", explicando que o acidente foi causado pela queda de um cabo de eletricidade sobre os vagões que carregavam combustível e produtos químicos. Anteriormente havia a informação de que os vagões transportavam dinamite.O grupo convidado pelo governo norte-coreano para visitar o local do acidente, formado por 40 diplomatas e funcionários humanitários, não encontrou mortos ou feridos, removidos pelas autoridades norte-coreanas. Funcionários norte-coreanos disseram que cerca de 350 feridos estavam hospitalizados em Sinuiju, cidade na fronteira com a China.O grupo encontrou imensas crateras e destroços por todos os lados. Segundo o porta-voz da Cruz Vermelha em Pequim, John Sparrow, 129 edifícios foram destruídos e 120 danificados, incluindo um hospital e uma escola agrícola. Medicamentos, alimentos e outros suprimentos foram entregues às autoridades do país. O grupo de convidados não pôde entrar no país com telefones celulares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.