China e EUA querem Península Coreana sem arma atômica

Os EUA disseram ontem que a China concordou em trabalhar conjuntamente para livrar, por meios pacíficos, a Península Coreana de sua capacidade nuclear. O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, e o principal diplomata da China, Yang Jiechi, afirmaram que ambos apoiam o objetivo de desnuclearização da região. "Somos capazes, os EUA e a China, de destacar o nosso compromisso conjunto para a desnuclearização da Península Coreana de forma pacífica", disse Kerry, sentado ao lado de Yang, em um alojamento estatal no oeste de Pequim. Na semana passada, um relatório dos EUA apontou indícios de que a Coreia do Norte já tem condições de armar um míssil com uma ogiva nuclear.

O Estado de S.Paulo

14 de abril de 2013 | 02h02

"A questão deve ser tratada e resolvida de forma pacífica, por meio do diálogo e da consulta. Resolver adequadamente a questão nuclear da Coreia serve aos interesses de todas as partes. Também é a responsabilidade compartilhada de todas as partes envolvidas", disse Yang.

Kerry afirmou que os EUA reduziriam suas defesas antimísseis na Ásia caso a Coreia do Norte abandonasse seu programa nuclear. Ele reforçou que os americanos desejam negociar diretamente com Pyongyang, sob a condição de que o regime desista do programa atômico.

Os chineses são os principais aliados do governo de Kim Jong-un e Washington quer que Pequim exerça maior pressão sobre a Coreia do Norte. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.