China e França vão construir usina nuclear conjunta

Também deve ser anunciado contrato para fabricar motores do avião chinês, concorrente do Airbus e Boeing

Efe,

21 de dezembro de 2009 | 06h02

O primeiro-ministro francês, François Fillon e o vice-primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, acertaram mesta segunda-feira, 21, em Pequim, a construção de uma usina nuclear em Taishan, informou a agência oficial Xinhua.

 

A construção será possível pela colaboração da Électricité de France (EDF) e a também francesa empresa de energia nuclear Areva, cujos presidentes, Henri Proglio e Anne Lauvergeon respectivamente, acompanham Fillon em sua viagem oficial de três dias.

 

Os empresários acertaram com a empresa Guangdong Nuclear Power Group uma empresa conjunta que construirá os dois reatores nucleares EPR da unidade, de terceira geração de água pressurizada.

 

Espera-se também que durante a visita do primeiro-ministro francês se anuncie a assinatura pela francesa Safran, sócia da americana General Electric, de um contrato para fabricar os motores C919, avião conhecido como "o jumbo chinês" que tem como objetivo competir a partir de 2016 com o Airbus A320 e o Boeing 737.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaFrançausina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.