China e Japão discutem crise entre as Coreias

O primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, juntou-se aos líderes da Coreia do Sul e Japão para um encontro de dois dias na ilha sul-coreana Jeju, na tentativa de encontrar uma solução para o impasse da crise entre Coreia do Norte e Coreia do Sul.

AE-AP, Agência Estado

29 Maio 2010 | 11h19

"Espero que este encontro seja concluído com resultados sólidos e que possa contribuir para a paz mundial", disse Wen, de acordo com nota divulgada pelo gabinete da presidência sul-coreana. O governo chinês, tradicional aliado da Coreia do Norte, vem sendo pressionado a adotar medidas punitivas contra Pyongyang por conta do naufrágio.

Hoje, na primeira parte do encontro, o foco das discussões ficou na cooperação econômica. O naufrágio do navio sul-coreano Cheonam em março, que provocou a morte de 46 tripulantes, deve entrar na pauta de discussões de amanhã, segundo o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Japão, Kazuo Kodama. O incidente foi considerado um dos piores desastres militares desde a guerra entre as Coreias, entre 1950 e 53

Na abertura do encontro hoje, os três líderes observaram dez segundos de silêncio em homenagem aos tripulantes do Cheonam, em gesto proposto pelo primeiro-ministro japonês, Yukio Hatoyama.

Uma equipe de investigadores internacionais afirmou na semana passada que há evidências de que um torpedo da Coreia do Norte tenha atingido o navio de guerra sul coreano. O governo norte-coreano negou a acusação e alertou que qualquer retaliação ou punição poderá provocar uma guerra.

Mais conteúdo sobre:
Coreias crise China Japão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.