China e Paquistão selam cooperação militar e energética

A China e o Paquistão emitiram um amplo depoimento conjunto neste sábado que anuncia aumento na cooperação militar, econômica, comercial, energética e de esforços antiterrorismo. O acordo foi alcançado durante uma visita do presidente Hu Jintao ao Paquistão, a primeira de um líder chinês ao país em uma década. A visita de Hu ao Paquistão tem contrastado com sua passagem anterior pela Índia, adversária de Islamabad na luta pela região fronteiriça da Caxemira com a qual Pequim teve pouco progresso em resolver antigas disputas. No depoimento, com 30 tópicos, emitido na véspera do retorno de Hu para a China, o Paquistão e a sublinharam seus compromissos de aumentar o comércio a novos picos, continuar a cooperação militar, aplicar em investimentos bilaterais, desenvolvimento conjunto de recursos de energia e combater o terrorismo e a instabilidade regional. Hu também prometeu ajudar o Paquistão em sua disputa com a Índia sobre questões territoriais, a causa de duas guerras entre os dois países nucleares desde a independência da Inglaterra em 1947. Na sexta-feira, 24, Hu havia prometido dar continuidade ao desenvolvimento conjunto de energia nuclear do Paquistão e havia selado compromisso de desempenhar um "papel construtivo" para a solução de conflitos como o da Caxemira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.