China e Rússia analisam resposta de ONU a mísseis norte-coreanos

O ministro de Assuntos Exteriores chinês, Li Zhaoxing, analisou por telefone com o ministro de Exteriores russo, Serguei Lavrov, a resposta da ONU ao lançamento dos mísseis norte-coreanos, segundo um comunicado do Ministério chinês divulgado hoje pela agência estatal "Xinhua".Em uma conversa por telefone hoje, os dois chanceleres secomprometeram também a impulsionar a cooperação estratégica entreambos os países, diz o documento, que não dá mais detalhes sobre oconteúdo da conversa.A China e a Rússia mostraram sua oposição ao projeto de resoluçãoapresentado na ONU na sexta-feira passada pelo Japão, que conta como apoio dos EUA, Reino Unido e França, e que exige que Pyongyangpare imediatamente o desenvolvimento, testes e posicionamento demísseis, e reafirme a moratória unilateral assinada em 1999.O embaixador chinês na ONU, Wang Guangya, disse que, em vez debuscar sanções, o Conselho de Segurança deveria enviar uma "respostafirme e unânime" ao lançamento dos mísseis, "através de umcomunicado que envie uma mensagem contundente".Wang acrescentou que o órgão deveria iniciar ações de formaresponsável, e levar em conta as "possíveis conseqüências negativas"que elas podem causar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.