China e Rússia assinarão tratado de amizade

O presidente da China, Jiang Zemin, chegou hoje a Moscou para uma visita de quatro dias, durante a qual assinará um tratado histórico de amizade entre os dois países. China e Rússia discutirão, ainda, uma estratégia comum de oposição ao plano dos EUA de criar um estudo antimíssil. O tratado que Jeming e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, devem assinar amanhã, depois de conversas no Kremlin, será o primeiro grande acordo entre as duas nações desde o colapso do comunismo da antiga União Soviética, há 10 anos. A visita do líder chinês ocorre depois de o Comitê Olímpico Internacional haver confirmado Pequim como sede dos Jogos Olímpicos de 2008.Durante a Guerra Fria, China e Rússia, ambas nações comunistas, eram potências rivais. O atrito entre os dois gigantes começou a diminuir em 1980, quando o presidente soviético era Mikhail Gorbachev, e deu lugar ao que os dois países chamavam de ?parceria estratégica?, ao longo dos anos 90.A China se tornou um grande parceiro comercial dos russos, e o principal cliente da indústria bélica russa. Os dois países também descobriram um objetivo comum na oposição à proeminência dos EUA no cenário mundial, e ambos se opõem fortemente às pretensões americanas de construir um sistema nacional de defesa contra mísseis balísticos. O encontro Jiang-Putin se segue a um teste bem-sucedido, realizado pelos EUA no sábado, com um míssil interceptador, e a uma série de declarações de autoridades americanas acerca da iminência do início da construção do novo sistema de defesa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.